25 de mar de 2011

Vou participar do Desafio Sereia. Venha também.

Eu lutei esta semana, fiz tudo certo - até hoje cedo - mas não consegui emagrecer... aí, juntou o fato de eu estar meio deprimida e enfiei o pé na jaca... que merlim.... mas quer saber, não me arrependo!!

Sai da dieta com 2 fatias de pizza de mussarela + 2 fatias de torta de chocolate e torta cooks! : (

Ahhhh, mas estava com saco cheio e comi mesmo. Pronto. Falei!

Vou participar do desafio da amiga Waris do blog Corpinho Perfeito com o qual espero que dê um UP na minha RA que está no efeito platô.



Waris: ¨ Vou dar início a este projecto, em principio, na 2ª feira, dia 28 de Março. Inicialmente terá a duração de 15 dias, portanto vai até dia 4 de Abril ¨.

Beijussssss

24 de mar de 2011

Acupuntura

Em 23 de junho de 2010 já estava ¨de cama¨ em casa quando do nada tive uma crise TERRÍVEL de dor lombar e nas pernas onde fiquei paralisada sem conseguir mexer 1 cm que fosse.

Foi necessário 6 homens para me tirar de casa em uma maca para a ambulância e direto para o hospital onde fiquei internada 11 dias.

Neste período já estava perdendo a sensibilidade da perna e do pé esquerdo. Fiquei de molho em repouso absoluto desta época até o dia 18 de agosto quando fiz a cirurgia onde coloquei 6 pinos e 1 haste.
Sofri com dores horríveis e tomei codeina por 2 meses direto, além de morfina, tramal e outros remédios fortíssimos.

Estou escrevendo este post porque infelizmente não vai ser possível fazer a hidro/natação/musculação.

Primeiro porque estou com o dedão do famoso pé esquerdo desligado infeccionado desde o natal. Já fiz 2 tratamentos com antibióticos e  nada... aliás, tinha melhorado um pouquinho na semana... o que me animou para ir para a academia.

Mas lembra que fez um friozinho gostoso na quarta passada... então, usei uma bota para ficar quentinha e não deu outra... o dedão ficou pressionado e a infecção e inchaço voltou com tudo! Que merda!!

Sem condições de passar em qualquer exame médico.

O que me deixa muito chateada é o fato que HOJE, 7 meses após a cirurgia, meu pé e perna esquerdos ainda estão parcialmente dormentes, o que limita a minha locomoção (praticamente só ando de bengala!) e me impede até de colocar calçados fechado... com exceção da bendita bota... afêê!

Então, não me restou outra alternativa se não voltar para a ACUPUNTURA. Ai meu bolso... : (

Fechei um pacote de 10 sessões com um novo acupunturista do lado do escritório - R$ 556,00 incluso a consulta - e estou ansiosa para começar, será toda Segunda e Terça.


Achei um texto explicando sobre o diagnóstico de  hérnia de disco super interessante e simples e gostaria de compartilhar com você. Aliás, se vc ou um conhecido estiver com dores nas costas...  é melhor procurar um médico, ok. Preferencialmente um neuro (minha opinião).

Segue:

¨Os discos da coluna, chamados discos intervertebrais, são estruturas finas e achatadas que servem de “amortecedores” entre as vértebras. Cada disco é feito de uma parte interna gelatinosa e macia cercada por um revestimento externo duro e fibroso. Esta estrutura permite ao disco ser firme o bastante para manter o espaço entre as vértebras, mas macio o bastante para comprimir quando a espinha se curva durante uma flexão ou compressão, apoiando e mantendo a coluna flexível.
Em algumas pessoas, principalmente adultos de meia-idade, o revestimento externo e duro de um disco desenvolve uma área de fraqueza ou uma pequena fissura. Quando isto acontece, parte do interior do disco pode ser empurrada para fora de sua posição normal (hérnia), produzindo uma condição chamada hérnia de disco. Se a hérnia de disco comprimir os nervos próximos do canal espinhal, isto pode causar uma variedade de sintomas relacionados aos nervos, incluindo dor, diminuição da sensibilidade e fraqueza muscular. Nos casos mais graves, uma hérnia de disco pode comprimir os nervos que controlam o intestino e a bexiga, causando incontinência urinária (falta de controle da urina) e fecal (perda do controle das fezes).
Os especialistas não entendem completamente por que os discos herniam. A maioria deles atribui esta condição a uma combinação dos fatores:
- Discos envelhecidos – A hérnia de disco é rara em pessoas jovens, mas é comum entre pessoas acima dos 35 a 55 anos de idade. De todos os fatores responsáveis pela hérnia de disco, envelhecer é provavelmente o mais importante. Com a idade, a camada exterior do disco parece lentamente se degenerar, provavelmente por causa de décadas de postura vertical e da flexão das costas.
- Fatores genéticos - Em algumas famílias, vários parentes sofrem de hérnia de disco, considerando o fato de que outras famílias não são afetadas nunca. Se a hérnia de disco é comum em uma determinada família, ela pode ter um começo extraordinariamente precoce nestas pessoas, até mesmo antes dos 21 anos de idade. Estudos estão começando a identificar os genes específicos ligados a formas herdadas da hérnia de disco.
- Fatores de risco individuais – Uma pessoa pode ter um risco aumentado de ter hérnia de disco se trabalhar em uma função ou praticar um esporte que envolva o levantamento de peso ou o excesso de movimentos de dobra ou giro da coluna.
Há três áreas distintas da coluna vertebral onde uma hérnia de disco pode acontecer:
o A região cervical - entre as vértebras do pescoço,
o A região torácica - entre as vértebras da parte superior das costas, próximo das costelas,
o A região lombar - entre as vértebras na parte mais baixa das costas, sobre a bacia.
A hérnia de disco é muito comum na região lombar. É relativamente rara na região torácica onde ela responde por uma em cada 200 ou 400 casos de hérnia de disco.
Quadro Clínico
O primeiro sintoma de uma hérnia de disco normalmente é a dor na área do disco afetado. Alguns pesquisadores acreditam que esta dor é um sinal que a camada exterior e dura do disco está lesada ou debilitada, não necessariamente que a parte interna já tenha herniado. Se a camada interna hernia e comprime um nervo próximo, os sintomas resultantes variam, dependendo do local da hérnia de disco:
o Na região cervical - Pode haver dor no pescoço, ombros, na escápula (“pá”), braços ou no tórax, associada a uma diminuição da sensibilidade ou de fraqueza no braço ou nos dedos. Se a dor é concentrada no tórax e no braço, pode imitar a dor torácica típica do infarto do coração. Ocasionalmente, pode acontecer aumento da freqüência da urina e dores de cabeça.
o Na região torácica – Os sintomas tendem a ser inespecíficos, incomodando durante muito tempo. Pode haver dor na parte superior ou inferior das costas, dor abdominal ou dor nas pernas, associada à fraqueza e diminuição da sensibilidade em uma ou ambas as pernas. Algumas pessoas afetadas também reclamam de incontinência (perda do controle) intestinal ou da bexiga.
o Na região lombar - Muitas pessoas sofrem dor nas costas durante anos, intermitente e moderada, antes de ter uma crise (levantando peso, dobrando ou torcendo a coluna, súbita e abruptamente), agravando seus sintomas a ponto de procurarem ajuda do médico. Pode-se também ter uma crise sem um fator ativador identificável. Na maioria das pessoas com uma hérnia de disco lombar, a dor forte atrás da perna é a principal queixa. Esta dor é chamada ciática porque vem da pressão no nervo ciático. Este nervo normalmente começa na parte mais baixa das costas, então se espalha pelas nádegas e corre em direção à coxa e à perna. A dor ciática fica tipicamente pior se o paciente tosse, espirra, se abaixa ou movimenta as costas de forma súbita. Freqüentemente a dor ciática alivia com o repouso e pode piorar ao dirigir ou carregar peso. Além disso, pode ocorrer diminuição da sensibilidade, formigamento ou fraqueza muscular nas nádegas ou na perna do mesmo lado da dor. Em formas mais raras e mais graves de hérnia de disco lombar, o nervo fica mais extensivamente comprimido. Se isto acontecer, sintomas adicionais podem ocorrer, incluindo dor anal, perda do controle os intestinos e da bexiga, e formigamento ao redor da área genital, nádegas ou parte de trás das coxas.
Diagnóstico
O médico revisará sua história clínica, incluindo qualquer história de febre, câncer, uso esteróides ou trauma recente que tenha atingido a coluna. Ele então irá fazer perguntas específicas sobre sua dor quanto:
- À freqüência e intensidade da dor,
- À localização (se fica restrita às costas ou se espalha para o ombro, braços, tórax, nádegas ou pernas?),
- À época de aparecimento,
- Ao fator desencadeante (movimento brusco, carregamento de peso, etc),
- Aos fatores de melhora ou piora,
- À influência do repouso no desaparecimento ou não da dor,
- Aos sintomas associados (sensibilidade, perda de controle das fezes ou urina, etc).
Depois ele fará um exame físico completo para descartar outras doenças que possam causar dor nas costas, como o câncer ou uma osteomielite (infecção dos ossos) da coluna.
Este exame físico geral será seguido de um exame mais detalhado de suas costas no qual ele ira procurar diferenças entre seus lados direito e esquerdo (assimetria), espasmos musculares, curvatura anormal (lordose, escoliose, cifose, etc), limitação dos movimentos, falta de flexibilidade, áreas de formigamento ou de maior ou menor sensibilidade. Os resultados ajudarão o médico a descartar outros tipos de dor nas costas que possam causar sintomas semelhantes.
O médico solicitará radiografias da coluna, uma tomografia computadorizada (TC) ou até uma Imagem de Ressonância Magnética (IRM) se o diagnóstico inicial não estiver claro, se os sintomas persistirem ou piorarem depois de várias semanas de tratamento, ou se ele estiver considerando uma cirurgia. Como os exames de imagem, como a IRM ou a TC, podem mostrar anormalidades do disco em pessoas sem sintomas, os resultados devem ser interpretados com cuidado. É comum encontrar-se anormalidades no exame que não têm nenhum efeito sobre os sintomas. O médico também pode recomendar uma eletromiografia, um exame que analisa o músculo e a função dos nervos para identificar locais de compressão ou irritação nervosa.
Prevenção
Em muitos casos, não é possível prevenir uma hérnia de disco. Porém, se você sofreu de uma hérnia de disco no passado, você pode diminuir suas chances dela entrar em crise novamente:
o Evitando atividades que requerem levantamento de peso pesado ou dobrar a coluna repetitivamente,
o Praticando boa postura,
o Mantendo um peso saudável,
o Seguindo um programa de fisioterapia com o intuito de melhorar a força muscular de suas costas e melhorar a flexibilidade do abdome e nas costas,
o Exercitando-se regularmente, especialmente com natação e caminhada.
Tratamento
Na maioria dos casos, uma hérnia de disco (com ou sem ciática) responderá ao tratamento conservador. Isto pode incluir:
o Repouso na cama (geralmente não mais que um dia ou dois),
o Compressas de água morna,
o Medicamentos como os antiinflamatórios não esteroidais (AINES) e relaxantes musculares. Alguns médicos prescrevem corticosteróides orais, embora os benefícios deste tratamento sejam questionáveis.
Como a inatividade prolongada pode levar ao despreparo físico, seu médico pode sugerir que você comece um programa de exercícios físicos precocemente. Até mesmo se você começar seu tratamento com um a dois dias de descanso na cama, ele pode recomendar que você complete com dois ou três períodos de 20 minutos de caminhada por dia. Depois de uma a duas semanas, você pode começar um programa mais forte de exercícios aeróbios diários (caminhada mais prolongada, andar de bicicleta e natação) além da fisioterapia. Outros tipos de tratamento conservador que se mostraram úteis para algumas pessoas incluem o ultra-som, as massagens e a acupuntura.
Quando estas medidas conservadoras não funcionam, injeções de corticóide epidurais (na coluna) podem ser úteis. Isto envolve a injeção cuidadosa de um corticóide no espaço em torno da espinha dorsal e dos nervos sob pressão.
Se já houve perda do controle dos intestinos ou da bexiga ou se houver evidência de lesão progressiva de um nervo, um tratamento mais agressivo pode ser necessário, incluindo a cirurgia. Na maioria dos casos, isto significa remover o disco, envolvendo a realização de uma grande cirurgia. Entretanto, mais recentemente, uma cirurgia menos invasiva tem sido feita na qual a hérnia de disco é corrigida por uma “sonda” inserida por uma incisão minúscula. A cirurgia também pode ser recomendada para pessoas que têm dores persistentes e incapacitantes que não respondem a pelo menos seis a oito semanas de tratamento conservador.
Qual médico procurar?
Procure um ortopedista (especializado em coluna) ou neurocirurgião imediatamente se você desenvolver dor nas costas, especialmente se você também tem dor ou sensibilidade em seus braços ou pernas ou se você perde controle de seus intestinos ou bexiga.
Prognóstico
Na maioria das pessoas, a dor nas costas melhora gradualmente dentro de quatro a seis semanas de tratamento.
Aproximadamente 60% das pessoas respondem a terapia conservadora dentro de uma semana, e 90 a 98% respondem dentro de seis semanas. A cirurgia tem uma expectativa de sucesso elevada quando a IRM ou a TC demonstram que a causa dos sintomas pode ser corrigida.¨
__________________________________
Publicado por
Informedicals Policlin
Informedicals Policlin

PS: este post ficou beeemm longo, mas tenho certeza que poderá ser útil para algumas pessoas

Beijusssss


Eu gostei, e está na moda

Bota cano curto com fivelas
opção genérica mas muito lindinha, na Passarela

Beijussssss

22 de mar de 2011

Lembrança do SPA

Matando saudades do Spa Jardim da Serra onde fiquei em 2009...

mas das refeições... hummm.... tenho saudade não... rsss

mais fotos clique Aqui

Beijusssss

20 de mar de 2011

Oba! Agora vai

Minha balança voltou a funcionar e oba!: CONSEGUI perder umas boas gramas!


Fiquei feliz e me dei um bom presente: